5 de abr de 2009

Páscoa

O que é páscoa?

É muito legal quando chega a Semana Santa! Feriado, família reunida, viagem, ovos de páscoa... Mas o que será a Páscoa? Vamos aprender algumas coisas interessantes sobre a verdadeira Páscoa.

Como tudo começou? A primeira Páscoa


Para entender melhor vamos voltar um pouco no tempo – aproximadamente 1.500 anos antes de Jesus Cristo nascer. Nesta época os judeus eram escravos no Egito. Lá eles trabalhavam duro, e foram maltratados por 430 anos. Deus, então, enviou Moisés para livrar o seu povo da escravidão, para que pudessem conhecê-lo e adorá-lo. Mas o Faraó, Rei do Egito, não queria libertar o povo de Deus. O Senhor, então enviou, dez sinais do seu poder para que o Faraó libertasse o seu povo:

1 Fez o rio Nilo se transformar em sangue. Todos os peixes morreram e o cheiro ficou terrível.
2 Rãs invadiram as casas dos egípcios.
3 Os egípcios e os animais ficaram cobertos de piolhos.
4 Deus mandou milhões de moscas para todo o Egito.
5 Os animais morreram.
6 Feridas cheias de pus cobriam a pele dos homens e dos animais.
7 Uma forte chuva de pedras acabou com tudo que estava no campo, incluindo as pessoas e os animais.
8 Uma nuvem de gafanhotos comeu todas as plantas e frutos que sobraram depois da chuva de pedras.
9 Durante três dias houve uma grande escuridão, e somente os egípcios ficaram no escuro.

Mas mesmo assim, o coração do Faraó ficou tão duro que não deixava o povo ir. Então Deus disse que mandaria o último sinal:
10 Deus mandou que cada família do povo de Israel matasse um cordeiro macho, sem defeitos, e passasse o sangue desse cordeiro nos batentes da porta de sua casa, quando Deus visse o sangue, ninguém morreria ali, mas nas portas dos egípcios não havia o sangue. Então o anjo da morte levaria o primogênito (filho mais velho) de cada família egípcia, desde o filho do Faraó até o filho do servo mais humilde, e também todo primogênito dos animais (Ex 12.7).

Depois deste sinal, o povo de Israel foi liberto da escravidão. Por causa dessa grande libertação dos israelitas a Páscoa passou a ser comemorada como a noite que Deus poupou Israel, salvando suas crianças e libertando a todos. (Essa história toda está em Êxodo a partir do capítulo 7 ao 12)

A Páscoa que comemoramos hoje é a maior e principal festa cristã, maior até do que o Natal!


Jesus veio aqui na Terra e nos ensinou a amar, a viver, a pensar, a servir... Ele veio para nos reconciliar com Deus e nos libertar da morte e do pecado. Mas para que tivéssemos direito a esta herança, Jesus teve que morrer. Ele foi humilhado, maltratado e morreu como um cordeiro. Depois ele ressuscitou no terceiro dia, e hoje ele vive! Deus enviou seu filho unigênito (único), sem defeitos. Jesus é como aquele cordeiro da Páscoa dos hebreus. Todos os que aceitam seu sacrifício são libertados da escravidão do pecado e da morte, assim como os Hebreus foram libertados pelo sangue dos cordeiros passado nas portas.


Jesus é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo

Vamos ver agora comparações que mostram que o que Jesus fez por todos nós foi como o que Deus fez para os judeus através daquele cordeiro morto na Páscoa:

1. Deus pediu para os homens que separassem um cordeiro para ser sacrificado, ou seja, morto. Da mesma forma, Jesus é o cordeiro de Deus (João 1.29). Ele é a nossa Páscoa (1 Coríntios 5.7).

2. Em Êxodo 12.5 diz que o cordeiro tinha que ser sem defeito, lembra-se? Pois é, Jesus cumpriu esta exigência (1 Pedro 1.18 e 19)

3. O cordeiro da Páscoa tinha que ser escolhido e separado dos outros cordeiros quatro dias antes da Páscoa (Êxodo 12.3-6). Jesus Cristo chegou em Jerusalém quatro dias antes da comemoração da Páscoa e morreu no mesmo dia do sacrifico do cordeiro (Referencia).

4. O cordeiro precisava ser imolado por toda a população (Êx 12.6). Jesus Cristo também foi sacrificado pelos líderes civis e religiosos de Israel e de Roma, e pela vontade de todo o povo que estava reunido lá (Referencia).

5. Nenhum osso do cordeiro poderia ser quebrado (Êxodo 12.46). Em João 19.33 e 36 fala que quando Jesus já estava morto na cruz ninguém quebrou nenhum osso dele, pois era costume quebrar os ossos de quem havia morrido na cruz.

6. Em Hebraico, Páscoa quer dizer passagem. Para o povo de Israel foi a passagem da escravidão para a liberdade; para nós, Páscoa é a celebração que marca a passagem da morte para a vida.

7. Jesus se ofereceu para ser sacrificado. Ele não foi tomado de surpresa. Ele escolheu morrer por nós.

Quando João Batista – um profeta de Deus – viu Jesus pela primeira vez, disse: Eis o cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo!

Então, qual a razão dos ovos de chocolate e os coelhinhos nesta história?


Os ovos de páscoa

O costume de presentear as pessoas na época da Páscoa com ovos ornamentados e coloridos começou na antigüidade. Eram verdadeiras obras de arte! Os ovos de Páscoa hoje são famosos no mundo inteiro. Os mais comuns são os ovos de chocolate, recheados com balas, confeitos e bombons. O ovo é um símbolo de começo, de vida que está para nascer, apesar de aparentemente morto, contém uma vida que surge repentinamente, destruindo as suas paredes. Daí sua associação à Páscoa: lembra o Cristo que sai vivo após os três dias no sepulcro. A Ressurreição de Jesus também indica o princípio de uma nova vida, a redenção da própria humanidade e a promessa de um futuro cheio de alegria e felicidade para os que têm fé e esperança. Dentro do ovo gera uma vida, a vida é o Dom mais precioso de Deus. Ressuscitando para uma vida nova, Jesus revela a preciosidade que é a. vida.

Os coelhinhos

É um dos primeiros animais que saem das tocas ao chegar a primavera, após um longo inverno de recolhimento. Ora, no hemisfério norte, a Páscoa ocorre nos primeiros dias da primavera (para nós que habitamos no hemisfério sul, a Páscoa e no outono) e os coelhos logo se põem a correr pelos campos verdes, repletos de flores, dando, portanto, a idéia de renovação da vida, que parecia estar morta durante o inverno. O que mais interessa religiosamente, é que os coelhos são animais que reproduzem com extrema facilidade e em grande quantidade. Vem daí a identificação com uma vida abundante, um processo de restauração, um ciclo que se renova todos os anos. E é isto exatamente que se relembra na Páscoa: a Ressurreição de Jesus, que traz consigo um novo tempo de paz e de esperança a toda a humanidade.


Vejamos alguns símbolos da Páscoa:


VELA (Círio Pascal)

Jesus Ressuscitado. Ele é a Luz do Mundo!



CORDEIRO

Jesus é o Cordeiro de Deus que deu sua vida por nós, para nos salvar do pecado.


SINOS
Anunciam a alegria da Ressurreição de Jesus Cristo e a esperança de uma vida nova.



GIRASSOL
Precisamos voltar nossa vida para o sol que é Jesus.


COELHO
Rápida e múltipla fecundidade (muitas vidas nascendo!), nos lembra que Deus quer vida para todos os seus filhos.


TRIGO E UVA
Jesus se fez Pão e Vinho e se deu para nós, como alimento para nossas almas.


OVO
Esconde dentro de sua casca uma vida nova que vai nascer. Simboliza Cristo que sai Vivo´após ter permanecido três dias no sepulcro (uma espécie de túmulo bem grande daquela época). O ovo nos lembra vida e ressusrreição!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que a paz do Menininho Jesus esteja em coração! Obrigada pela visita e pelo seu comentário!

Obs: Se você escolher a opção Anônimo, no final não esqueça de colocar o seu nome! Abraço Fraterno!!