Páscoa - Material visual

Esse é o material que usei pra pregação da Páscoa. Fiz um ovo só e fui retirando de dentro dele a cruz, os pregos e a pedra e por fim, mostrei o sepulcro vazio.




Lembrancinha de Páscoa


Audiência: as crianças nunca são um erro

2015-04-08 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – A Praça S. Pedro ficou lotada de fiéis para a Audiência Geral desta quarta-feira (08/04). Antes de pronunciar sua catequese, Francisco cumprimentou a multidão a bordo do seu papamóvel, recebendo e retribuindo o carinho dos peregrinos.
Já diante da Basílica Vaticana, o Papa tomou a palavra para retomar o ciclo de catequeses sobre a família, depois da pausa da Semana Santa.
Mais uma vez, o Pontífice falou da infância, mas no contexto de uma triste realidade: a de tantas crianças que são rejeitadas, abandonadas, que veem roubadas a sua infância e o seu futuro.
“Às vezes, há quem diga que pode ter sido um erro trazer uma criança ao mundo. Trata-se de uma afirmação vergonhosa! As crianças nunca são ‘um erro’. Não joguemos sobre elas as nossas culpas. Que devemos fazer com as declarações dos direitos do homem e da infância, se depois punimos as crianças com os erros dos adultos?”
O Papa prosseguiu ressaltando que todos os adultos são responsáveis pelas crianças e cada um deve fazer o que pode para mudar a situação de quem vive marginalizado, sem educação e saúde.
Para Francisco, toda criança abandonada é um clamor que sobe a Deus e que acusa o sistema que construímos. “E, infelizmente, essas crianças são presas de delinquentes, que as exploram para tráficos e comércios indignos ou adestrando-as para a guerra e a violência.”
Todavia, advertiu o Pontífice, também nos países ricos muitas crianças vivem dramas que as marcam, como a crise da família, vazios educativos e condições de vida desumanas.  Muitas vezes, destacou, os filhos pagam o preço de uniões imaturas e de separações irresponsáveis; sofrem o êxito da cultura dos direitos subjetivos exasperados.
“Nenhuma criança é esquecida pelo Pai que está nos céus”, disse o Papa, recordando que Jesus sempre demonstrou um carinho especial por elas: as chamava para si e as abençoava.
Assim, a Igreja tem a obrigação de estar ao serviço das crianças e de acompanhar as suas famílias, sobretudo aquelas cujos filhos têm graves dificuldades.
“Com as crianças não se brinca!”, disse Francisco, convidando a pensar o que seria uma sociedade que decidisse uma vez por todas estabelecer o seguinte princípio: “É verdade que somos imperfeitos e cometemos muitos erros. Mas quando se trata de crianças que veem ao mundo, qualquer sacrifício dos adultos não será julgado exagerado se isso fizer com que nenhuma criança se sinta um erro ou sem valor”.
Após a catequese, o Papa saudou os diversos grupos presentes na Praça. Pessoalmente, cumprimentou o fundador da Casa do Menor, Pe. Renato Chiera, acompanhado de alguns auxiliares. 
(BF)
(from Vatican Radio)

SUGESTÃO DE GRUPO DE ORAÇÃO COM CRIANÇAS - Páscoa

ACOLHIDA: Acolha as crianças com muita alegria, afinal, é Páscoa! Jesus está vivo no meio de nós!

ORAÇÃO INICIAL: Reze uma dezena do terço ou a Coroinha do Menino Jesus ou o terço querigmático ou ainda o terço bizantino da criança

ANIMAÇÃO: Cantar duas ou três músicas de louvor (músicas infantis pequenas, animadas com gestos) e finalizar com uma música de interiorização. Entre as músicas fazer pequenos comentários ou dinâmicas relacionadas ao tema do dia.

ORAÇÃO: 1º) Louvor a Deus pelo que Ele é e por Sua obra (lembre-se louvar não é só agradecer, é elogiar).
2º) Pedir que Jesus nos batize com o Espírito Santo (aqui podemos deixar as crianças orar em línguas)
3º) Silêncio para ouvir a voz de Deus
4º) Profecias (peça que as crianças falem o que elas estão sentindo ou o que veio à mente delas naquele momento)
5º) Resposta ao Senhor (louvar e agradecer pelo que Ele falou).

EVANGELHO: S. João 20, 1-18 Leia e medite na sua Bíblia, escute o que o Senhor que falar para as crianças. No dia do GOC leia na Bíblia infantil ou conte a história com suas palavras.

PREGAÇÃO: Crianças, como vocês podem ver, eu trouxe uma cesta de Páscoa. Em alguns países as crianças decoram ovos de verdade, pintando de diversas maneiras para depois presentear outras pessoas. Aqui no Brasil nós costumamos presentear com ovos de chocolate. Mas os ovos da minha cesta de Páscoa são muito especiais, porque cada um deles nos ensina o que realmente significa a Páscoa.
No primeiro ovo tem uma cruz. A cruz nos lembra que Jesus voluntariamente suportou carregar a cruz ao Calvário, para morrer pelos nossos pecados. Ninguém O obrigou a fazer isso; Ele fez porque sabia que era a única maneira de podermos ir pro céu. Deus nos amou tanto que enviou o Seu Filho único para que cada um de nós pudéssemos ter a vida eterna.

Mobilização Nacional de Oração - Abril 2015

FELIZ PÁSCOA!!!

“A nossa força está na Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo!

O nosso dia-a-dia de cristão precisa ser vivido como num dia de Páscoa: Dia de alegria, de júbilo e de vitória! Essa é a esperança que deve estar no coração do combatente: a esperança da ressurreição. 

Jesus, após ressuscitar, aparece aos apóstolos. Eles – que até então estavam tristes, abatidos e com medo por terem presenciado a morte d'Ele –, são tomados pela alegria da Ressurreição do Senhor. 

A Páscoa é o ressuscitar de um novo tempo: é vida nova em Cristo. A Igreja celebra a vitória de Jesus sobre a morte e nos convida para assumirmos essa vida nova.

A alegria é fruto do Espírito Santo, por isso precisamos estar repletos d’Ele para que essa virtude preencha toda a nossa vida”. Mons. Jonas Abib


Neste mês de abril estamos vivendo o Tempo Pascal. O Tempo Pascal acontece do Domingo da Ressurreição até o Domingo de Pentecostes, por isso, cinquenta dias na presença do Ressuscitado nos preparando para receber o Espírito Santo prometido! Durante todo o mês coloquemos nas intenções do Santo Terço nossos irmãos do Acre e o Encontro Nacional de Evangelizadores de Crianças (ENEC).

COMO REZAR?

Sinal da Cruz
- Creio 
- Invocação do Espírito Santo
- Intercessão profética nestas intenções:
1) Escritório Nacional, todos seus projetos (Missões, Construção da Sede Nacional, Revista...)
2) Conselhos Nacional, Estadual e Diocesano com todos seus projetos e eventos
3) Ministérios e seus projetos e eventos 
- Oração que nos ensina a Beata Elena Guerra: “Senhor, faz que eu fale, agindo conforme teu Espírito: que as minhas palavras te glorifiquem e sejam úteis ao bem espiritual do meu próximo. Amém!"

Sejamos sinceros e humildes em nossas orações. Vamos interceder com fé e um amor apaixonado por Jesus!

Durante a intercessão anotem as palavras e as visualizações que o Senhor revelar e no dia 13, que sucede ao dia da intercessão encaminhem para o email: paula_generoso@yahoo.com.br faremos um único relatório do dia da Mobilização Nacional e encaminharei para o Conselho Nacional da RCC. O mesmo Espírito habita e age em nós.

Relembrando a dinâmica da Mobilização: Cada estado do nosso Brasil é convidado a participar de uma hora de intercessão no dia 12 de abril, intercedendo pelo ministério e por toda Renovação Carismática Católica. No mês seguinte o estado adiantará em uma hora a sua mobilização. Por exemplo: São Paulo inicia à 0h, depois Sergipe e Tocantins continuam à 1h, Acre às 2h, Alagoas às 3h...


HORÁRIO
ESTADO (S)
0h às 1h
Sergipe e Tocantins
1h às 2h
Acre
2h às 3h
Alagoas
3h às 4h
Amapá
4h às 5h
Amazonas
5h às 6h
Bahia
6h às 7h
Ceará
7h às 8h
Distrito Federal
8h às 9h
Espírito Santo
9h às 10h
Goiás
10h às 11h
Maranhão
11h às 12h
Mato Grosso e Mato Grosso do Sul
12h às 13h
Minas Gerais
13h às 14h
Pará
14h às 15h
Paraíba
15h às 16h
Paraná
16h às 17h
Pernambuco
17h às 18h
Piauí
18h às 19h
Rio de Janeiro
19h às 20h
Rio Grande do Norte
20h às 21h
Rio Grande do Sul
21h às 22h
Rondônia e Roraima
22h às 23h
Santa Catarina
23h às 24h
São Paulo



Se vivemos no Espírito...

“Vivemos no Espírito quando passamos a pertencer a Cristo pelo Batismo, onde fomos inseridos no campo de atuação do Espírito Santo. Isso é fato consumado. Agora, porém, é preciso andar de acordo com o Espírito, o que não nos acontece como num passe de mágica, mas sim implica o dever de acolher suas orientações com perseverança, disciplina e responsabilidade para andarmos como Ele determina. Numa palavra, o evangelizador tem o dever de ajustar sua vida à nova realidade em que agora se encontra. Tal como o homem ou a mulher que entrou para o casamento deve conformar sua vida à realidade de alguém casado, assim também o evangelizador que, pelo Batismo, entrou para a vida no Espírito, deve andar como alguém controlado por esse mesmo Espírito.

Aquele que ama a Deus e que procura ser justo não vive na prática do pecado e, sim, para Deus em santidade. A carne deve estar subjugada ao Espírito, pois, para o cristão, o Espírito é Senhor e a carne é serva. O evangelizador não deve ser o que deseja a sua carne e sim, o que o Espírito quer, pois este manda na carne. É assim que se vence a carne: através do Espírito que nos vivifica. “Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis” (Rm 8,13).

É desta forma que veremos, em nosso ministério, o cumprimento das promessas do Senhor”.