18 de jan de 2009

Criando Filhos Para Deus

RELACIONAMENTO PAIS E FILHOS

INTRODUÇÃO:
Quando falamos de relacionamento pais e filhos, colocamo-nos diante de um grande desafio de nossos tempos.

Porque desafio?
Percebemos que a cada dia que passa, as relações intrafamiliares se tornam mais frágeis, menos calorosas, menos importantes, tanto para uns como para outros.
O corre corre do dia a dia, a agitação da vida moderna envolve tanto nossa família, que acabamos vivendo: vidas individualizadas dentro de nossos lares.

O dia a dia da Família
- O pai tem seu trabalho, suas preocupações, o sustento da casa, as contas para pagar, a escola das crianças, etc.
- A mãe, quando trabalha fora, que agitação! Acorda de manhã, correndo para preparar tudo e ir para o serviço, para poder ganhar mais dinheiro, para dar conforto, para auxiliar no “futuro da família”.
-A mãe que trabalha em casa, tem outras preocupações, cuidar da casa, dos filhos, manter tudo em ordem para que todos se sintam bem, cuida de tudo, mas vive cansada, abatida, esgotada, é o termo mais utilizado pelas mulheres atualmente.
- E os filhos, estes sim, acordam de manhã para ir a aula, depois brincam, fazem seu dever de escola, os maiores fazem outras atividades, e muitos trabalham para auxiliar no sustento do lar e de si mesmo.
-“Todos correndo diariamente, porém oprimidos pelo estresse que a vida moderna tem imposto para nossa família”
- Finalmente ao final de cada dia, todos estamos esgotados, cansados e cada qual tem o desejo de ter um descanso, um lazer justo para no outro dia começar tudo de novo.

Questionamento:
Diante destas realidades perguntamos a um jovem o que ele acha da vida familiar:
“Acho uma coisa legal, mas não tenho muito tempo para pensar nessas coisas não, tenho que pensar no meu quarto, nas minhas coisas...”
Alguns pais:
“Não sabemos mais o que fazer com essas crianças, não há como segurá-los”

Constatação:
Vemos que na prática tudo isso acontece, pois temos na educação e no relacionamento com os filhos duas atitudes erradas:
Deixar o barco correr (permissivos demais) ou reprimir em excesso

Outro fator que vemos na atualidade:
A família está perdendo a liderança na educação dos filhos

Quando se fala em perda de liderança, falamos de:
- Perca de autoridade
- Perda de referenciais familiares

Mas de quem é a culpa?
Os fatores que influenciam diretamente na formação e na criação de nossos filhos são vários.

Alguns deles:
- Televisão, escola, amizades, ideologias do consumismo, materialismo, erotismo.
- Condicionamentos sociais impostas pela realidade política e social
- Homem e mulher têm que trabalhar para sustentar a casa

Conseqüência: “abandono dos filhos”
- filhos rebeldes
- com problemas de relacionamentos interpessoais
- dificuldades na escola
- falta de perspectiva, fechamento, depressão, etc...

O que fazer então?
O primeiro passo para a transformação dessas realidades é:

Retomada de consciência:
Porque constituí uma família?
Qual minha função dentro desta família?
O que vem em primeiro lugar, o que é melhor para mim ou o que é melhor para minha família?
De quem é a função de educar os filhos?

Precisamos rever alguns critérios fundamentais para nossa vida familiar:

Na Educação Repensar: o que é Educar?
Educar: é a arte de desenvolver a racionalidade, tornar livres as pessoas.
- É dar chances para que a pessoa se desenvolva
- Educar cristamente significa formar nos filhos a imagem viva de Jesus Cristo
- O objetivo fundamental da educação dos filhos, é formar integralmente o filho,

Ou seja:
Estimular o crescimento de todas as aptidões naturais
Educação física e intelectual
Da vontade, do coração
Social, espiritual, política, etc...

“ONDE PRIMEIRO ACONTECE A EDUCAÇÃO DOS FILHOS?”
NO AMBIENTE FAMILIAR (CIC 2222)


Como está nossa vivência familiar?
Para que se realize uma ação educativa, é necessário um clima, um ambiente favorável para que a convivência familiar se torne um lugar agradável a todos.

Como seria este ambiente favorável?
Um ambiente onde se tenha:
- diálogo e otimismo
- alegria
- presença amiga
- participação nas preocupações e nas alegrias
- o espírito de fé

Também é importante preocupar-se com outros ambientes em que nossos filhos convivem:
Escola, clubes, amizades...

Essas preocupações fazem parte da educação e da formação integral de nossos filhos.

ASPECTOS FUNDAMENTAIS NA EDUCAÇÃO

Saber ouvir:
- o pai que é educador, aceita colocar-se na escuta de Deus e do filho
- escutar o filho na situação concreta de sua vida, idade
- atento à formação do seu caráter (o que ele pensa sobre alguns assuntos?)
- criando um ambiente de diálogo e partilha, tudo isto para ajudá-lo a encontrar com amor, a resposta mais adaptada aos seus anseios interiores.

Um grande segredo:
“O que educa, é o que se vê fazer”

O ensinamento mais eficaz consiste em fazermos nós mesmos aquilo que ensinamos aos nossos filhos.

A EDUCAÇÃO DOS FILHOS É OBRA DO CORAÇÃO

E o que o coração opera de melhor é o amor
- do coração de Deus tudo brotou por nos amar
- alguns pais podem dizer:

“Mas eu amo muito meus filhos e mesmo assim tenho dificuldades com eles”
Palavras de Dom Bosco:

“Que os jovens, não somente sejam amados,
mas que eles saibam que são amados”

- o amor deve manifestar-se de forma concreta
- deve ser demonstrado em gestos e atitudes

Mas como demonstrar isso?
- o grande segredo não está em grandes juras de amor, mas em pequenos gestos, participativos da vida, dos interesses de nossos filhos
Exemplo:
-participar de suas brincadeiras
-gostar daquilo que eles gostam
-participar de suas inclinações
-participar de seus momentos importantes de vida

Mas para que serve tudo isso?
Para ensiná-los a ver tudo com:
- amor, mesmo que nem tudo lhes agrade
- para verem a necessidade de disciplina
- para valorizarem os estudos
- para aprenderem que muitas vezes fazemos o que não queremos;
Tudo isso não significa “paparicar”, mas participar, amar.

- É importante que os pais abram seus horizontes para perceberem que quando nos fechamos dentro de casa como uma concha doméstica, os filhos buscarão prazeres e realizações fora de casa.
Nossos filhos têm tido prazer em ficar em casa conosco?
Sentem-se livres para expressar seus anseios, seus projetos?

Outros gestos concretos
O diálogo
É importante o diálogo freqüente com os filhos
-como vai a escola
-como está sentindo nossa família
-como você tem se sentido
-entrar no mundo interior de nossos filhos grande desafio
Importante
Essa função não é apenas do pai ou da mãe, mas dos dois, marido e mulher, pai e mãe.

Educação sexual
- os filhos esperam dos pais essa conversa
- e muitos pais deixam passar o tempo, os anos e nunca falaram com seus filhos sobre este assunto
Resultado: buscam conhecimento fora do ambiente familiar

A correção
E quando os filhos aprontam das suas?
- esse é o momento em que o equilíbrio, a temperança deve estar presente em nossas vidas
- é necessário que os filhos tenham confiança nos pais
- quando confiam em seus pais, aceitam a correção
- não tem porque esconder coisas de seus pais

Mas como conquistar essa confiança de nossos filhos?
Alguns passos são importantes:
-respeitar-lhes a intimidade
-não falar com outros a respeito de seus defeitos ou fracassos escolares
-não levá-los em gozações em seus primeiros sentimentos
-estar em família o maior tempo possível
-responder pacientemente todas as suas perguntas
-nunca mostrar-se cansado demais para ouvi-los

Sem amor não existe confiança “Pais amem vossos filhos” (Ef 6,4)

Que fazer depois das suas faltas?
-não fazer escândalo por qualquer coisa
-também não fazer de conta que não viu

“quem corrige seu filho com amor não será envergonhado diante dos outros”

É importante:
saber canalizar as energias de nossos filhos
descobrir suas qualidades e ajudá-los a desenvolverem-se

Os castigos
Leia:
Eclesiástico 30, 1-13

Palavras de Dom Bosco:
“Não dêem castigos, senão depois de haverem esgotado todos os outros meios”

“Aguarde o momento oportuno para corrigir, não no momento do erro, é preciso dar-lhe tempo para refletir, para cair em si”

"Que o castigo seja para melhorar o filho, não para puni-lo apenas”

- Ponderação e sabedoria, sempre ajudarão os pais na criação de seus filhos.

EDUCAÇÃO RELIGIOSA
“Sabemos que para viver a fé, é necessário se ter uma experiência com Jesus.”

Experiência com o amor de Deus, neste sentido:

Os pais são reflexos de Deus para seus filhos (CIC 2226)

O que mais influi na formação dos filhos, especialmente no campo religioso, é aquilo que os pais são e vivem.
- os filhos têm necessidade de verem que o Deus que é proclamado, que a mudança interior que o Espírito Santo realiza em nossos corações é real, presente na vida dos pais
- onde o amor se torna a medida de todas as coisas, consegue-se um clima de feliz harmonia

Portanto:
“É aos pais que Deus confia a tarefa de aplicar os significados da mensagem cristã.”

Mas como fazer isso concretamente?
Criando ritmos novos dentro do lar ritmos cristãos

Ritmos de oração
os pais transmitem a necessidade de oração
criam a oração familiar
rezam, partilham a oração de seus filhos
motivam seus filhos a orarem

Ritmos Sacramentais
os pais devem conduzir os filhos à prática dos sacramentos
da Reconciliação
da primeira Eucaristia
na continuidade da Eucaristia
na confirmação

A família criada por Deus para viver o amor é local de :
- presença de Deus,
- educação para vivência em Deus
- santificação dos indivíduos.


“Façamos de nosso lar, um santuário da vida”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que a paz do Menininho Jesus esteja em coração! Obrigada pela visita e pelo seu comentário!

Obs: Se você escolher a opção Anônimo, no final não esqueça de colocar o seu nome! Abraço Fraterno!!