O posicionamento da Igreja Católica quanto a festa do Halloween

O Vaticano fez duras críticas a  festa de Halloween, feriado de Dia das Bruxas comemorado em 31 de outubro, um dia antes do Dia de Todos os Santos, da Igreja Católica. Segundo o "Daily Mail", A instituição afirmou ser uma data "anticristã" e "perigosa", por ter ligação com o oculto.


Em um artigo intitulado "As perigosas mensagens do Halloween", o jornal oficial do Vaticano, "L'Osservatore Romano", citou o perito litúrgico Joan Maria Canals, que disse que "o Dia das Bruxas é uma corrente do ocultismo e completamente anticristão".
"L'Osservatore" elogiou uma igreja em Alcala de Henares, que decidiu realizar uma vigília de oração na noite de sábado, e também a ideia da arquidiocese de Paris de fazer um dia de imersão para as crianças, batizado de "Holywins" ("o sagrado vence", na tradução do inglês).
A Igreja Católica da Itália vê com maus olhos o crescimento da popularidade da festa de Dia das Bruxas nos últimos anos. Em 2008, o jornal "Avvenire", dos bispos italianos, apelou para um completo boicote e descreveu o Dia das Bruxas como uma "perigosa celebração do terror e do macabro". 
A Arquidiocese do México, em um artigo sobre a festa de Halloween no semanário "Desde la Fe", disse que "se procuramos ser fiéis à nossa fé e aos valores do Evangelho, teríamos que concluir que a atual festa do Hallowen não só não tem nada a ver com a celebração que deu origem, mas também é nociva e contrária à fé e a vida cristã". A Arquidiocese considera que o Halloween "rende honra a uma cultura da morte, que é produto da mescla de costumes pagãos" e o mais grave "é que a festividade foi se identificando com grupos neopagãos e celebrações satânicas e ocultistas".
No texto intitulado "Perguntas frequentes sobre o Halloween", o Arcebispado afirma que essa celebração dista muito do que devem celebrar os cristãos, por isso exortou aos fiéis a não celebrar o Halloween. Afirma ainda que em alguns países como México, Irlanda e Estados Unidos são realizadas, durante esta festa, missas negras, cultos esotéricos e outras reuniões relacionadas com o mal e o ocultismo".
O artigo também questiona o costume, principalmente entre crianças, de disfarçarem-se de bruxas, vampiros, fantasmas e monstros, e convida os pais a, no dia 1º de novembro, disfarçarem seus filhos de personagens bíblicos ou alguma pessoa que "saibam que foi boa e que, portanto, certamente estará no céu".


Vemos assim que a tradição de comemorar as bruxas ou outros espíritos não é cristã e deve ser evitada, ainda que tenha apenas uma conotação folclórica. Devemos, sim, celebrar o dia de todos os Santos. 

Fonte: Catequizando com amor

2 comentários:

  1. Oi tia Paula, só para registrar que em nossa Arquidiocese de Florianópolis, estamos no terceiro ano que celebramos o "Sede Santos" encontro onde as crianças se vestem de santos e acontece a maior festa. Tem sido uma experiência ímpar de alcance das famílias que até se emocionam em vestir seus filhos de santos e santas!Fica a dica!!

    ResponderExcluir
  2. Vamos vestir nossos filhos de santos(as); de anjos. Vamos comemorar a festa cristã e não a pagã!!!

    ResponderExcluir

Que a paz do Menininho Jesus esteja em coração!