QUERIGMA DAS CORES



ORIENTAÇÃO AOS EVANGELIZADORES DE CRIANÇAS

A Paz do Menino Jesus
“Tu, porém, permanece firme naquilo que aprendeste e aceitaste como certo: Tu sabes de quem o aprendeste. Desde a tua infância conheces a Sagrada Escritura e sabes que ela tem o poder de comunicar a sabedoria que conduz à salvação pela fé em Jesus Cristo”
(2Tm 3,14-15).

Quando A Palavra de Deus diz que “desde a infância conheces a Sagrada Escritura”, confirma que a evangelização é tarefa de toda a vida.

São Tarcísio, Santa Agnes, Santa Teresinha, São Domingos Sávio e os Santos Inocentes testemunharam que a santidade é possível aos pequeninos.

A criança é capaz de acolher a Deus desde o ventre materno. João Batista é um bom exemplo disso, pois ele, percebendo a presença de Jesus, estremeceu no ventre de sua mãe.

Maria, em Lourdes e Fátima, escolheu crianças para comunicar a toda humanidade sua mensagem de paz. Isso nos ajuda a mudar nossa visão sobre a criança, percebendo-a não como um ser somente capaz de receber informações, mas também como um agente transformador da sociedade. A criança deve ser vista como sujeito da história (a exemplo de Samuel), capaz de anunciar o Reino de Deus.

I - DEMONSTRAR AMOR É A PRIMEIRA FORMA DE EVANGELIZAR


A fé em Deus é o nível mais elevado que o homem pode atingir. Ela o faz compreender que acima do ser humano existe um Deus e que a vida deve ser respeitada. Perguntas como: quem sou, de onde vim, para onde vou, só a fé pode responder. Diante de situações difíceis como a morte, o que seria do homem sem a fé?

A fé se desenvolve ao longo do amadurecimento emocional do homem. Entre a fé de um bebê e a fé madura de um adulto, existe um caminho que não está pronto, mas deve ser traçado, construído e experimentado. Essa construção acontece em cada etapa do desenvolvimento da criança por meio de suas experiências e relacionamentos

A experiência de confiar abrange a relação com quem cuida da criança. É a base para abrir-se ao encontro com o outro e com Deus. As sementes da confiança, coragem, esperança e amor são plantadas no ser humano com o leite materno, e fundem-se às experiências vivenciadas desde o ventre da mãe. Logo, o amor é a primeira forma de evangelizar: a criança amada terá muito mais facilidade de confiar em si, nos outros e em Deus. Já a criança pequena que sofre privações, violência, abandono e rejeição, terá dificuldades para acreditar em Deus. Essa fase está relacionada a tudo que irá acontecer, mais tarde, no desenvolvimento da fé. A confiança que está nas bases da estrutura emocional do ser humano permitirá, com muito mais facilidade, uma entrega total a Deus.

Se compararmos o homem a uma árvore, o que recebemos na primeira infância poderemos chamar de “tronco” e o que vier depois, serão somente galhos e enxertos. Logo, a eficácia da evangelização de uma criança está relacionada à coerência com que pais e educadores vivenciam o que pregam.

II - A EVANGELIZAÇÃO NOS PRIMEIROS ANOS DE VIDA

Na fase fantasiosa de 18 meses a seis anos pode ser influenciada de modo poderoso e permanente pelos adultos com os quais mantém relacionamento.

A criança, nessa fase, desenvolve a capacidade de simbolizar e de dar significado às experiências pessoais. Ela inicia uma relação com Deus, por meio da confiança, que é a base para uma posterior adesão pessoal à fé.

Após essa fase, a criança começa a assumir para si as histórias e crenças que simbolizam pertença à sua comunidade, interpretando-as literalmente.

O desenvolvimento da fé combate a inércia, a inferioridade e alienação. Porém, quando a fé ensinada não é vivenciada pela família, essa formação poderá sofrer uma ruptura.
Trabalhamos com o Querigma das Cores para ajudar os que evangelizam crianças a respeitar as etapas no desenvolvimento da fé, usando de símbolos e seus significados.  Na primeira fase, apenas os símbolos terão sentido para a criança. Numa segunda etapa, as palavras. E o significado passará a fazer parte do universo.

III - O MÉTODO QUERIGMA DAS CORES

Os portugueses cometeram um erro ao acreditar que, para evangelizar os índios, era necessário que eles deixassem de ser índios. Da mesma forma, os adultos se enganam quando tratam as crianças como mini adultos ou jovens que se esqueceram de crescer.

A forma correta de evangelizar a criança é respeitando sua faixa etária, conhecendo-a, usando a sua linguagem. E a linguagem da criança é o brincar.

O Querigma, usando o símbolo das cores, tem sido aplicado com êxito e é uma ferramenta eficaz nas mãos das crianças, na sua missão evangelizadora de levar outras crianças, e até adultos, a ver Jesus – Caminho, Verdade e Vida. O Querigma das Cores apresenta o Querigma de forma simples, direta e eficaz, como pede nossa Igreja (Doc. 72 pág. 11, letra f) e sua aplicação é criativa.

IV – O SIGNIFICADO DAS CORES

A - A COR AMARELA

 O amarelo representa o amor de Deus Pai. Deus é luz (1Jo 4,8) e o sol tem essa cor. Como o sol aquece, nasce e dá vida para todos, assim é o amor de Deus Pai.

B – A COR PRETA
 O preto representa a escuridão, ausência de luz, trevas, pecado. Quando fechamos os olhos é a cor que vemos e isso lembra o pecado que nos impede de ver as maravilhas criadas por Deus; é como andar de olhos fechados, o que nos faz cair, nos machucar e, ainda, machucar as outras pessoas. É por isso que essa cor não está no terço missionário.
(Obs.:- Se houver questionamento quanto à cor preta estar sugerindo algo contra a raça negra é sinal de que há preconceito e devemos trabalhar para vencê-lo. Quer coisa mais preconceituosa do que inventar que as trevas são cinza ou marrom?).

C – A COR VERMELHA

O vermelho é a cor do sangue de Jesus. Para nos salvar, Jesus, primeiramente, tornou-se homem. Assim, nada mais nos separa do amor de Deus, porque em Jesus, homem e Deus são uma só criatura.

Jesus morreu na cruz. No Antigo Testamento, o homem que queria se libertar do pecado sacrificava um cordeiro a Deus.

Jesus, então, fez isso por todos nós. Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

Jesus ressuscitou, venceu a morte e nos deu a vida. Ele é vida nova! Estamos livres para perdoar e amar.

Jesus está à direita do Pai. Isso mesmo, Ele está sentado no trono. Jesus é a cabeça da Igreja e nós somos Seu corpo. Se a cabeça está no trono, nós também podemos reinar sobre todo mal com Jesus. Temos o poder de sermos filhos de Deus.

D – A COR VERDE

O verde da esperança, nós usamos para falar do tema “Fé e Conversão”, porque a fé é o fundamento da esperança (Hb 11,1). A fé ou se transforma em atitudes ou nunca existiu. Quem tem fé em Jesus irá amar como Ele amou.

E – A COR BRANCA

O espírito Santo se manifestou sob a forma de uma pomba no Batismo de Jesus, e a bandeira da paz é de cor branca. Como a paz é fruto do Espírito Santo (Gl 5,22), usamos a cor branca para simbolizar o Espírito Santo.

F – A COR AZUL

Tivemos três motivos para escolher a cor azul no tema “Comunidade”. Primeiro, o azul é a cor do céu. Segundo, viver em comunidade é praticar aqui na terra, o Reino de Deus citado na oração do Pai Nosso: “venha a nós o Vosso Reino”. E por último, “católico” quer dizer totalidade, e azul é a cor do manto de Maria, Mãe da Igreja.

V - COMO USAR O QUERIGMA DAS CORES

Primeiro, temos de apresentar o Querigma das Cores para a criança. A partir do momento em que as crianças associarem as cores aos temas do Querigma, tudo irá girar em torno dessas cores.

Para falar do tema “Amor de Deus”, o evangelizador pode usar roupas amarelas, brinquedos amarelos, cartazes de folhas amarelas etc. um bom recurso é adaptar ou inventar histórias, utilizando as cores do Querigma. Por exemplo: “Chapeuzinho Vermelho vai cantando pela estrada (cor amarela), encontra o lobo (cor preta), fala de Jesus para ele (cor vermelha), converte-o (cor verde). Então, cheios de alegria (cor branca), vão festejar com a vovó (cor azul da comunidade)”.
Ao ler passagens bíblicas, a criança irá destacar qual tema percebeu no texto. Exemplo: Ler sobre a anunciação do anjo (Lc 1, 26-38). As crianças mostram a cor amarela quando percebe, na história, o amor de Deus (por ter enviado o anjo), a cor verde ao partilhar a fé de Maria (dizer Sim) e assim por diante.

Brinquedos e jogos levarão a cor dos temas propostos.
Levar a criança a perceber o Querigma na liturgia: a oração de louvor a Deus Pai (amarelo), o arrependimento (preto), o anúncio da Palavra (vermelho), o Creio (verde), o ofertório (verde), a consagração (vermelho e branco) e a comunhão (azul).

O Querigma das cores é uma forma simples de levar a criança a ver Jesus e também nos forma, como evangelizadores. Usando criatividade, a ele podemos somar novas iniciativas e experiências, para conversão de muitas crianças e a maior glória de Deus.
O colo de Maria para todos!

VI – CITAÇÕES BÍBLICAS QUE FUNDAMENTAM O QUERIGMA

O AMOR DE DEUS
COMUNIDADE
PECADO
FÉ E CONVERSÃO
Is 43, 1
1 Jo 4, 8
Jr 31, 3
Is 49, 15
Sl 103, 13
Is 54, 10
Jo 15, 9
Cl 2, 19
At 2,44
1Cor 1, 10
Ef 1, 23
Sl 133, 1
Ef 5, 23
Cl 1, 18, 24
Cl 2, 2
Sl 51, 7
Jo 9, 41
Rm 14, 23
Rm 3, 23
Rm 6, 23
Jo 8, 34
Rm 5, 1- 2
At 4, 12
At 10, 43
Mt 9, 29
At 13, 39
Rm 1, 17
Rm 10, 9-10
ESPÍRITO SANTO
SALVAÇÃO
MARIA
At 2, 37
Is 5, 24
At 2, 38 -39
At 4, 32
Jo 7, 37 -39
1Cor 5, 7
Jo 4, 14 - 22
2Cor 5, 17
Lc 11, 9-13
Rm 8, 9b
At 2, 1- 4
Jo 3, 16-17
2Cor 11, 2
Gn 3, 15
Rm 5, 20
Jo 16, 33
Rm 8, 31-38
Mq 7, 19
1Cor 15, 55
Jr 31, 34
2Cor 5, 21
Hb 10, 14
Ef 2, 1- 7
At 4, 12
Lc 1, 38
Lc 2, 19 – 51
Lc 1, 32 – 33
Lc 1, 48 – 49

Hyde Flávia Lobato Marinho Dias
Coordenadora Nacional do Ministério para Crianças da Renovação Carismática Católica do Brasil

Um comentário:

  1. Oi querida, que legal conheci o Kerigma através de uma catequista amiga minha, muito joía.
    Sou evangelista de crianças formada pela APEC,e trabalhamos o LIVRO SEM PALAVRAS ,são cinco cores apresentando o evangelho tb aos pequenos,tenho um blog se vc quiser conhecer:http://www.coisinhasdajack-coisinhasdajack.blogspot.com.br/
    beijoca

    ResponderExcluir

Que a paz do Menininho Jesus esteja em coração!