No Céu agora mesmo


Ali estava eu, incógnito, um ministro protestante à paisana, esgueirando-me nos fundos de uma capela em Milwaukee para participar pela primeira vez da missa. A curiosidade me arrastara até lá e eu ainda não tinha certeza de que fosse uma curiosidade saudável.
Ao estudar os escritos dos primeiros cristãos, encontrei inúmeras referências à "liturgia", à "Eucaristia", ao "sacrifício". Para aqueles primeiros cristãos, separada do acontecimento que os católicos de hoje denominam "missa", a Bíblia - o livro que eu mais amava - era incompreensível.
Eu queria entender os cristãos primeiros, mas não tinha nenhuma experiência de liturgia. Por isso, persuadi a mim mesmo a ir ver, como uma espécie de exercício acadêmico, mas jurando o tempo todo que não ia me ajoelhar nem participar de idolatria.
Sentei-me na obscuridade, em um banco bem no fundo daquela capela no subsolo. À minha frente havia um número considerável de fiés, homens e mulheres de todas as idades.
Impressionaram-me suas reflexões e sua evidente concentração na oração. Então um sino soou e todos se levantaram quando o padre surgiu de uma porta ao lado do altar.
Hesitante, permaneci sentado. Durante anos como calvinista evangélico, fui instruído para acreditar que a missa era o maior sacrilégio que alguém poderia cometer. Tinha aprendido que a missa era um ritual com o propósito de "sacrificar Jesus Cristo outra vez". Por isso, eu seria um espectador, ficaria sentado, com a Bíblia aberta ao meu lado.


Impregnado da Escritura
Entretanto à medida que a missa prosseguia, alguma coisa me tocou. A Bíblia não estava só ao meu lado. Estava diante de mim - nas palavras da missa! Um versículo era de Isaías, outro de Salmos, outro de Paulo. A experiência era prodigiosa. Eu queria interromper tudo e gritar: "Ei! Posso explicar o que está acontecendo a partir das escrituras? Isso é Maravilhoso! Não obstante, mantive minha posição de espectador, à parte até que ouvi o sacerdote pronunciar as palavras da consagração: "Isto é o meu corpo... Este é o cálice do meu sangue".
Então senti todas as minhas dúvidas se esvaírem. Quando vi o sacerdote elevar aquela hóstia branca, percebi que uma prece subia de meu coração em um sussurro: 
"Meu Senhor e meu Deus. Sois realmente vós!" 
A partir daquele ponto, fiquei, por assim dizer, tolhido. Não imaginava uma emoção maior que a que aquelas palavras provocaram em mim. Porém a experiência intensificou-se um momento depois, quando ouvi a congregação repetir: "Cordeiro de Deus... Cordeiro de Deus...Cordeiro de Deus" e o sacerdote responder: "Eis o Cordeiro de Deus...", enquanto elevava a hóstia.
Em menos de um minuto a frase "Cordeiro de Deus" ressoou quatro vezes. Graças a longos anos de estudos bíblicos, percebi imediatamente onde eu estava. Estava no livro do Apocalipse, no qual Jesus é chamado de Cordeiro nada menos que vinte e oito vezes em vinte e dois capítulos. Estava na festa de núpcias que João descreve no final do último livro da Bíblia. Estava diante do trono do céu, onde Jesus é saudado para sempre como o Cordeiro. Entretanto, não estava preparado para isso - eu estava na missa!

(O Banquete do Cordeiro, Scott Hahn - Pag 21/22)

Relato: Os sacerdotes que abusaram de mim


Segue a livre tradução de um texto bastante forte sobre as tremendas experiências que uma pessoa teve com alguns sacerdotes. Ouso dizer que esses formam parte da maioria. Cuidado com eles…
“Quanto era muito criança, sem ter consciência, sem liberdade, sem poder defender-me, um deles me fez filho de Deus, herdeiro da Vida Eterna, Templo do Espírito Santo e membro da Igreja, nunca poderei perdoar-lhe por ter-me feito tanto bem.
Outro insistiu em meus tenros anos em inculcar-me, violentando a minha vontade, o respeito pelo nome de Deus, a necessidade absoluta da oração diária, a obediência e a reverência aos meus pais, o amor pela minha pátria, e me ensinou a utopia de não mentir, não roubar, não falar mal dos outros, perdoar e todas essas coisas que nos fazem tão hipócritas e ridículos…
Outro apareceu mencionando que o Espírito Santo devia vir completar a obra começada no Batismo, que me fariam falta seus dons e seus frutos, que já era hora de que viesse em minha ajuda Aquele que me faria defender a Fé, como um soldado. Que ousadia falar em termos tão bélicos! Fez nessa época que eu cuidasse minha alma frente ao mundo, que fosse nobre, leal e honesto…
Outro abusou dando-me livros para ler, não lhe bastassem seus conselhos, que faziam colocar o olhar na eternidade e viver como estranho aqui na terra. Quem tirará agora da minha cabeça os quatro Evangelhos? As glórias de Maria? A imitação de Cristo? As Confissões? As Moradas? Etc. Quem será capaz de curar-me de todos esses tesouros que me marcaram para sempre?
Outro abusou da minha ignorância ensinando-me coisas que não sabia. Outro não falava, mas sua vida virtuosa me inclinava cada vez mais a imitá-lo. Houve alguns que se aproveitaram de mim em momentos inesperados e me corrigiram, me alentaram, e até rezaram por mim.
Outros, quando eu já estava em um círculo do qual não podia sair, insistiram com minha natureza caída e me incitaram a receber a Jesus Cristo em Corpo e Sangue, para resistir aos embates do inimigo, para fortalecer minha fraqueza e santificar-me cada dia mais. Embora, para aquele que leia esta denúncia, pareça que isso já é demasiado e que não seja possível, digo-lhe que os abusos seguiram aumentando, e tudo passou a coisas maiores. Cada vez que conhecia um sacerdote, se aproveitava de mim com renovados métodos, relíquias, santinhos, água benta, terços, bênçãos e orações de todo tipo, armavam um cerco com tremendos benefícios que chegaram ao limite do suportável.
Quero deixar clara esta injustiça cheia de perversidade, e que atendam a minha reclamação nesta denúncia, por que sei que alguns deles estarão esperando-me para seguir com essa iniqüidade, sentado num confessionário ou ao lado de minha cama quando estiver moribundo, e, ainda que desapareça, seguirão com sufrágios pela minha alma e súplicas de misericórdia.
Quero que se somem a minha voz todos aqueles que foram vítimas desses incidentes, e se sentiram ultrajados por estas pessoas, pois sei que a outros os uniram em matrimônio, a outros lhes descobriram a vocação, a outros até chegaram a ajudar-lhes materialmente ou guardaram com chave em seu coração, para sempre, segredos tremendos de suas misérias humanas.
Cuidemos seriamente para não termos trato com eles. Não demos a eles nossos dados. Não os olhemos nos olhos, não os consultemos absolutamente para nada. Não sigamos nenhum de seus passos, pois corremos o risco de um dia cair em suas armadilhas e salvar-nos eternamente”.
Autor: Gustavo Caro



Nossa! Também sofri esses tipos de abuso.
Hoje sou escrava de um imenso amor por Jesus e por nossa amada Igreja Católica.
DEUS abençoe a todos nós!

Santíssima Trindade


Tema: A Bíblia é nosso mapa e o Espírito Santo é nosso guia.

Material: Um mapa e uma bússola.

Palavrinha de Deus: "Mas quando ele, o Espírito da verdade vier, ele vos guiará a toda a verdade". João 16:13 

Alguma vez você já se perdeu? Eu já, e posso dizer-lhes que não é uma sensação muito boa... Uma vez eu estava viajando à noite e tomei o caminho errado. Enquanto dirigia, comecei a ficar com a sensação de que eu estava indo na direção errada. Sempre que eu virava para uma nova estrada, achava que  deveria ter ido em outra direção e logo, eu estava irremediavelmente perdido. Peguei um mapa como este (mostre o mapa). Olhei para o mapa, mas não ajudou, porque mesmo que eu pudesse ver onde eu queria ir, eu não sabia que direção estava indo. Eu não sabia se eu estava indo para o norte, sul, leste ou oeste. Eu estava totalmente confuso!

O que eu realmente precisava naquela noite era um mapa e uma bússola! Isso é uma bússola (mostre a bússola). A maioria de vocês provavelmente já viu uma bússola. A agulha da bússola aponta sempre para o norte. Se um viajante sabe onde é o norte, ele vai saber que direção está viajando. Se eu tivesse um mapa e uma bússola, o mapa teria me mostrado aonde ir, ao passo que a bússola teria me apontado a direção certa para chegar lá.

À medida que viajamos através da vida, precisamos de um mapa e uma bússola também. Deus nos deu ambos. Deus nos deu a Bíblia, que é nosso mapa no caminho da vida. Mas, às vezes a Bíblia é difícil para nós compreendermos, e é difícil saber o caminho que devemos percorrer. Deus sabia disso, por isso Ele enviou o Espírito Santo para ser nossa bússola. O Espírito Santo nos ajuda a compreender as Escrituras e nos guia na direção certa. Isso é o que Jesus queria dizer quando ele disse aos seus discípulos: "Mas quando o Espírito da verdade vier, ele vos guiará em toda a verdade."

Ah... sobre a minha viagem... Acho que alguns de vocês estão querendo saber se eu encontrei meu caminho. Bem, eu estava perdido por tanto tempo que  começou a amanhecer. Quando o sol apareceu, eu sabia que o sol nasce no leste. Essa era exatamente a direção que eu precisava ir, então eu apenas segui o sol!

Hey! Você sabe, essa é uma boa idéia! Quando você estiver perdido e confuso - se você não conseguir ler o mapa e você não tiver uma bússola - basta seguir a luz... Jesus, Filho de Deus Pai!

Vamos orar?

Querido Pai, agradecemos por nos dá Sua Santa Palavra para ser o nosso mapa ao longo da vida. Agradecemos também por enviar o Seu Espírito Santo para ser nosso guia. Acima de tudo, agradecemos o envio de Seu Filho para ser nosso Salvador. Amém.

Sorteio de um kit evangelização infantil (2)

Gente!!! 
Eu, como sempre, fazendo confusão... 
Se eu não esquecer ou trocar o nome das pessoas não sou eu!!!...
E no meio de toda distração e maluquice eu também faço confusão com números... Estávamos chegando a 450.000 acessos e não 500.000!!! 
Bom, mas aí foi legal porque resolvi estender o prazo para o sorteio, farei quando chegarmos aos 500.000! 


Teve gente que deixou comentário , mas não deixou o e-mail, daí se ganhar e não ficar esperta(o), não vai ter como eu avisar...


Já estão valendo:
1 - Renata - Cocal do Sul/SC
2 - Gizeli - Cássia/MG
3 - Elisandra - Itapira/SP
4 - Maria Alessandra - Marambaia SG/RJ
5 - Tia Roberta - Senador Amaral/MG
6 - Gisele - Ponta Grossa/PR
7 - Turminha do Coração de Criança - Taubaté/SP
8 - Clécia - Feira de Santana/BA
9 - Adriana - Taubaté/SP
10 - Simone - Uberlândia/MG
11 - Jacinta - Rio de Janeiro
12 - Débora - São Paulo/SP 
13 - Gaby - Americana/SP (essa é da minha diocese!!!)
14 - Mary Rosa - Sete Lagoas/MG
15 - Aurea - Jaboatão dos Guararapes/PE 
16 - Samya - Fortaleza/CE
17 - Mary - Crucilandia/MG 


É isso aí!!! Deixe seu comentário (é só clicar em "comentários" aí em baixo da postagem) com seu NOME, E-MAIL e CIDADE/ESTADO em que você evangeliza as crianças. Quando chegarmos aos 500.000 acessos farei o sorteio!!!


Deus abençoe todos vocês que acessam o blog!!!


Beijos,


Tia Paula

O Espírito Santo nos impulsiona!

Sorteio de um kit evangelização infantil!!!

Estamos chegando à marca de 500.000 acesos ao blog! 

Pensei em comemorar fazendo um sorteio de um kit evangelização.

Basta deixar um comentário com seu nome e e-mail e a cidade em que você evangeliza os pequeninos

Dia 31 (2ª-feira) faço o sorteio!


Santíssima Trindade

Este é um meio para as crianças entenderem que existe Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, três pessoas distintas, mas um só Deus. 


Aproveite para explicar que o Espírito Santo é uma pessoa e não uma pomba, fogo, vento, etc., estas são apenas algumas manifestações Dele. Também que Jesus Cristo não é o “Papai do Céu”, como alguns pais ensinam, mas é o Deus Filho. 


Recorte os três triângulos e ao falar de cada pessoa da Santíssima Trindade vá juntando um ao outro para que formem outro triângulo maior.


Não esqueçamos que a Trindade é um mistério, explique às crianças que “agora conhecemos a Deus em parte, mas então um dia o conheceremos face a face", assim diz São Paulo.
Santo Agostinho disse um dia que "Deus não é para ser entendido, mas adorado" e que "se um nós conseguirmos entender Deus então ele deixará de ser Deus".










Três pessoas


Deus Pai, Criador de todas as coisas, 


Deus Filho, Jesus Cristo, Salvador dos homens e 


Deus Espírito Santo, Santificador de nossas almas. 


Estas três pessoas juntas são um só Deus!

Para pensar...

"Ah! deixa essa boneca faça-me um favor. Deixe isso tudo e vem brincar de amor... de amor, hey, hey, hey... de amor"...

"Te pego na escola e encho a tua bola com todo meu amor. Te pego na festa e testo teu sexo com ar de professor. faço promessas malucas tão curtas como um sonho bom... faz parte do meu show".

Faça-me um favor, vá. Estas letras de canções de sucesso não são pedofilia? Distribuir camisinha para os adolescentes no colégio não é incentivo a pedofilia?

Os dados da Unicef revelam que 90% dos casos de pedofilia estão na família. E a Igreja que é pedófila? Os padres são os monstros da pedofilia? Se têm - e deve ter - padre assim que sejam punidos pela justiça. Pedofilia é uma doença social. É crueldade humana. Mas, não sejamos unilaterais e hipócritas. As musiquinhas que você ouve no seu querto ouynas baladas são os piores casos de pedofilia que existem.

Agora virou moda os blog's e os sites dos "perdidos no espaço" falarem mal dos padres e dos religiosos afirmando que são pedófilos. Não é pedofilia um "véio" de 60 anosl er a playboy da ninfa? Não é pedofilia se masturbar assistindo malhação e se imaginando tendo relação com a menininha bonitinha da trama? Não é pedofilia colocar a sua filha de mini-saia para dançar no programa de auditório? Não é pedofilia emprestar seu filho para fazer uma novela que só tem traição e adultério? Isto não é pedofilia? Não? Não mesmo? Realmente a pedofilia começa em casa.

A pedofilia não está só no seminário, como dizem. Ela está na propaganda de batom, no "primeiro sutiã", no orgia da publicidade de desodorante, carro e picolé.

E porque não fazem nada com relação a isso? Porque repórteres renomados não investigam a fundo a origem de certos produtos ou faça uma CPI da pedofilia nas universidades? E o funk, dançado e defendido por muitos católicos, porque é aceito nos programetes de domingo a tarde? Porque ninguém processa ou investiga uma emissora de TV? O lobby segura a verdade? Sö por curiosidadprocure no google letras com apologia a podofilia e racismo. Mas fique decepcionado com seu cantor ou banda preferidos. A coisa é feia.

No dia em que os beatles cantaram pela primeira vez "I SHOULD HAVE NO BETTER" o mundo todo gostou, bateu palma, vibrou. Até aí não tem problema mas, não coloque a culpa na Igreja de um fardo que você devia carregar pela cumpliucidade com as coisas do mundo.


Fonte: http://silvinhoz.blogspot.com/

Sem as efusões constantes do Espírito Santo, a Igreja seria como um barco à vela ao qual falta o vento

.


Este meio-dia, depois de ter celebrado a Santa Eucaristia na Basílica de São Pedro na Solenidade de Pentecostes, o Papa Bento XVIrezou o Regina Caeli com milhares de peregrinos que se encontraram na Praça de São Pedro, e em suas palavras de introdução recordou a necessidade que tem a Igreja das efusões do Espírito Santo para poder cumprir sua missão de anunciar o Evangelho em todo mundo.

“Sem as efusões constantes do Espírito Santo, disse Bento XVI, a Igreja seria como um barco à vela ao qual falta o vento”, disse o Santo Padre.

O Papa afirmou que os Concílios são um exemplo nos que se dá uma especial efusão do Espírito Santo, e recordou o Concílio Ecumênico Vaticano II. Entre seus exemplos de efusão do Espírito também citou o “celebre encontro dos movimentos eclesiásticos com o Venerável João Paulo II na festa de Pentecostes de 1998”-

“A Igreja –acrescentou- conhece inumeráveis ‘Pentecostes’ que vivificam as comunidades locais: as Liturgias, em particular aquelas vividas em momentos especiais para a vida da comunidade, nas que a força de Deus é percebida em modo evidente infundindo nos ânimos alegria e entusiasmo”.

Em seguida Bento XVI citou os “encontros de oração, em que "os jovens sentem claramente o chamado de Deus” e ressaltou que “não há Igreja sem Pentecostes. E gostaria de acrescentar: não há Pentecostes sem a Virgem Maria, como nos refere o livro dos Atos dos Apóstolos" – disse o pontífice, afirmando ter sido testemunha disso em Fátima, poucos dias atrás, durante sua viagem apostólica a Portugal.

“O que viveu aquela imensa multidão, na esplanada do Santuário, onde todos éramos um só coração e uma só alma, senão um renovado Pentecostes? No meio de nós estava Maria, a Mãe de Jesus. Esta é a experiência típica dos pequenos ou dos grandes santuários marianos, como Lourdes, Guadalupe, Pompéia, Loreto: onde quer que os cristãos se reúnam em oração com Maria, o Senhor doa o seu Espírito.”.

Seguidamente o Papa fez um convite a todos os cristãos a estar “espiritualmente unidos à Mãe de Cristo e da Igreja invocando com fé uma renovada efusão do divino Paráclito. Invocamo-la para toda a Igreja, e particularmente neste Ano Sacerdotal, para todos os ministros do Evangelho, para que a mensagem da Salvação seja anunciado a todas as pessoas”.

Depois de ter rezado o Regina Caeli o Papa saudou os presentes em diversos idiomas e repartiu sua Bênção Apostólica. 
Clique nas tirinhas para visualizar melhor




Intensifiquemos o nosso clamor: Vinde, Espírito Santo!


Somos cheios do Espírito quando nos colocamos a serviço

Chegar à Solenidade de Pentecostes é celebrar a plenitude da Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo, Sua vitória sobre o pecado e a morte, ao vir sobre a Igreja reunida se cumpre à promessa de Jesus: “Ao tomar a refeição com eles, deu-lhes esta ordem: 'Não vos afasteis de Jerusalém, mas esperai a realização da promessa do Pai, da qual me ouvistes falar, quando eu disse: 'João batizou com água; vós, porém, dentro de poucos dias sereis batizados com o Espírito Santo'" (cf. Atos 1,4-5). Quando o Espírito Santo vem sobre a Igreja reunida com Maria e os Apóstolos, ela vive no seu nascimento, na Solenidade de Pentecostes, a plenitude da Páscoa, que os fez testemunhas da vida nova, e isso pode acontecer hoje comigo e com você.







Ao receber o Espírito Santo não devemos monopolizá-Lo, Ele não é um Dom somente para nós, nem somente para a Igreja, Ele é um DOM para todos. O Espírito Santo que nós recebemos e juntamente com Ele os Dons e Carismas, que são manifestações d'Ele, são para que imediatamente nós nos coloquemos a serviço, a serviço da Igreja e dos irmãos. Por isso, a experiência com o Paráclito aconteceu em comunidade, nunca com uma pessoa sozinha, pois Ele é o animador e santificador da comunidade dos cristãos, da Igreja. É impossível fazer uma experiência com o Espírito de Deus fora da comunidade, esse foi o ambiente escolhido pelo Pai e por Jesus, é o ambiente adequado para que Ele [Espírito Santo] venha e nos faça irmãos, servos e testemunhas do Evangelho.
Nós não somos monopolizadores do Espírito, somos "difusores" d'Ele. Por isso, o recebimento do Espírito Santo só é autêntico para quem se coloca a serviço, este, sim, O recebeu e O dá de maneira abundante, como o fez Jesus, como o fez Maria e os apóstolos. Não seja monopolizador do Espírito, eu não sou “a pessoa inspirada”, “o inteligente”, “o cheio de dons”, não! É possível reconhecer se somos cheios do Espírito Santo quando nos colocamos a serviço dos irmãos, aí vamos dar provas de que somos pessoas conduzidas por Ele.
É hora de intensificarmos nosso pedido: Vinde, Espírito Santo! Vinde sobre nós pessoalmente. Vinde sobre toda a Igreja. Vinde sobre toda a cristandade. Nesta semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, vinde sobre nós católicos, sobre os ortodoxos, sobre os evangélicos. Vinde sobre a humanidade inteira. Rezemos clamando nestes dias de preparação para a Solenidade de Pentecostes pelos sete dons do Espírito de Deus: SABEDORIA, INTELIGÊNCIA, CONSELHO, FORTALEZA, CIÊNCIA, PIEDADE E TEMOR DE DEUS:
DOM DA SABEDORIA
“Mal podemos compreender o que está sobre a terra, dificilmente encontramos o que temos ao alcance da mão. Quem, portanto, pode descobrir o que se passa no céu? E quem conhece vossas intenções, se vós não lhe dais a Sabedoria, e se do mais alto dos céus vós não lhe enviais vosso Espírito Santo? Assim se tornaram direitas as veredas dos que estão na terra; os homens aprenderam as coisas que vos agradam e pela sabedoria foram salvos” (Cf. Sb 9,16-18).
Vinde, Espírito de sabedoria! Instruí o meu coração para que eu saiba estimar os bens celestes e antepô-los a todos os bens da terra.
Oração: Ó Deus Todo-poderoso, concedei-nos o Dom da Sabedoria, a fim de que cada vez mais gostemos das coisas divinas e, abrasados no fogo do vosso amor, prefiramos com alegria as coisas do céu a tudo que é mundano e nos unamos para sempre a Jesus, sofrendo tudo neste mundo por amor. Por Jesus Cristo, vosso Filho na unidade do Espírito Santo.
DOM DA INTELIGÊNCIA
“Sabemos que aquele que nasceu de Deus não peca; mas o que é gerado de Deus se acautela, e o maligno não o toca. Sabemos que somos de Deus, e que o mundo todo jaz sob o maligno. Sabemos que o Filho de Deus veio e nos deu entendimento para conhecermos o Verdadeiro. E estamos no Verdadeiro, nós que estamos em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna”. (1 Jo 5,18-20).
Vinde, Espírito de Inteligência! Iluminai a minha mente Para que entenda e abrace todos os mistérios da fé e mereça alcançar um pleno conhecimento Vosso, do Pai e do Filho.
Oração: Ó Deus, concedei-nos o Dom do Entendimento, para que pela luz celeste de vossa graça, bem entendamos as sublimes verdades da salvação e a doutrina da santa religião. Por Jesus Cristo, vosso Filho na unidade do Espírito Santo.
DOM DO CONSELHO
“Ouve os conselhos, aceita a instrução: tu serás sábio para o futuro. Há muitos planos no coração do homem, mas é a vontade do Senhor que se realiza” (Pr 19,20-21).
Vinde, Espírito de Conselho! Assisti-me em todos os assuntos desta vida instável, torna-me dócil às inspirações e guiai-me sempre pelo caminho dos divinos mandamentos.
Oração: Ó Deus, concedei-me o Dom do Conselho, tão necessário em tantos passos melindrosos da vida, para que sempre escolhamos o que mais vos agrada e sigamos em tudo vossa divina graça. Por Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
DOM DA FORTALEZA
“Demais, para que a grandeza das revelações não me levasse ao orgulho, foi-me dado um espinho na carne, um anjo de satanás para me esbofetear e me livrar do perigo da vaidade. Três vezes roguei ao Senhor que o apartasse de mim. Mas ele me disse: 'Basta-te minha graça, porque é na fraqueza que se revela totalmente a minha força'. Portanto, prefiro gloriar-me das minhas fraquezas, para que habite em mim a força de Cristo. Eis por que sinto alegria nas fraquezas, nas afrontas, nas necessidades, nas perseguições, no profundo desgosto sofrido por amor de Cristo. Porque quando me sinto fraco, então é que sou forte” (II Cor 12,7-10).
Vinde, Espírito de Fortaleza! Fortalecei o meu coração em todas as perturbações e adversidades e dai à minha alma o vigor necessário para resistir ao pecado e ao maligno.
Oração: Ó Deus, concedei-nos o Dom da Fortaleza, para que desprezemos todo o respeito humano, fujamos do pecado, pratiquemos as virtudes da fortaleza com santo fervor e afrontemos com paciência e mesmo com alegria de espírito os desprezos, prejuízos e perseguições. Por Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
DOM DA CIÊNCIA
“Ó Senhor, nosso Deus, como é glorioso vosso nome em toda a terra! Vossa majestade se estende triunfante, por cima de todos os céus. Que é o homem, digo-me então, para pensardes nele? Que são os filhos de Adão, para que vos ocupeis com eles? Entretanto, vós o fizestes quase igual aos anjos, de glória e honra o coroastes. Destes-lhe poder sobre as obras de vossas mãos, vós lhe submetestes todo o universo. Ó Senhor, nosso Deus, como é glorioso vosso nome em toda a terra”! (Sl 8,2. 5-7. 10).
Vinde, Espírito de Ciência! Fazei-me ver a vaidade de todos os bens caducos deste mundo, para que não use senão para vossa glória e salvação de minha alma.
Oração: Ó Deus, concedei-nos o Dom da Ciência, para que conheçamos cada vez mais a nossa própria miséria e fraqueza, a beleza das virtudes e o valor inestimável da alma e para que sempre vejamos claramente as ciladas do demônio, da carne, do mundo, a fim de evitá-las. Por Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
DOM DA PIEDADE
“Recomenda esta doutrina aos irmãos, e serás bom ministro de Jesus Cristo, alimentado com as palavras da fé e da sã doutrina que até agora seguiste com exatidão. Exercita-te na piedade. Se o exercício corporal traz algum pequeno proveito, a piedade, esta sim, é útil para tudo, porque tem a promessa da vida presente e da futura” (I Tm 4,6. 8).
Vinde, Espírito de Piedade! Vinde morar no meu coração e inclinai-o para a verdadeira piedade e santo amor a Deus.
Oração: Ó Deus, concedei-nos o Dom da Piedade, para que aprendamos a amar-vos como nosso Pai e a todos os homens como nossos irmãos. Por Jesus Cristo, vosso filho, na unidade do Espírito Santo.
DOM DO TEMOR DE DEUS
“Meu filho, se acolheres minhas palavras e guardares com carinho meus preceitos, ouvindo com atenção a sabedoria e inclinando teu coração para o entendimento; se tu apelares à penetração, se invocares a inteligência, buscando-a como se procura a prata [...], então compreenderás o temor ao Senhor, e descobrirás o conhecimento de Deus, porque o Senhor é quem dá a sabedoria, e de sua boca é que procedem a ciência e a prudência” (Prov 2,1-6).
Vinde, Espírito de Temor de Deus! Repassai a minha carne com o vosso santo temor, de modo que tenha sempre Deus presente e evite tudo o que possa desagradar aos olhos de vossa divina majestade.
Oração: Ó Deus, concedei-nos o Dom do Santo Temor, para que sempre nos lembremos com suma reverência e profundo respeito da vossa divina presença, e evitemos praticar tudo quanto possa vos desagradar. Por Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Deixe suas intenções em comentários e rezemos sem cessar: Vinde, Espírito Santo!
Conheça outros conteúdos do Podcast do Padre Luizinho
http://podcast.cancaonova.com/canal/Padre-Luizinho
Padre Luizinho
Comunidade Canção Nova

Essa notícia não sai nos jornais!!!!


Sacerdote morre ao salvar 3 jovens de afogamento

O Pe. Thomas Remedios Fernandes, de 37 anos, vigário paroquial da igreja de Jesus, Maria e José, na aldeia de Nuvem, na Índia, faleceu no último 9 de maio ao salvar a três jovens de perecer afogados no mar durante um passeio organizado pela paróquia.

Conforme informou a agência Fides, a paróquia tinha organizado um dia de companheirismo na praia da Galgibaga. Esse dia pela tarde, três jovens de 17 a 19 anos ingressaram no mar agitado e ao encontrar-se em dificuldade gritaram pedindo ajuda.

“O Pe. Fernandes se atirou na água e conseguiu salvar em seguida dois deles. Uma vez alcançado e posto a salvo o terceiro jovem, o sacerdote sofreu um ataque cardíaco fatal. O sacerdote foi socorrido e levado rapidamente a um hospital próximo, mas os médicos não puderam fazer outra coisa que constatar a morte”, informou Fides.

A Igreja em Goa afirmou que o Pe. Fernandes “é um Pastor que deu a vida por suas ovelhas (…) e neste Ano Sacerdotal é um exemplo e um testemunho para todos os sacerdotes”

O MIOLO DE PÃO



Conta a história que um casal tomava café da manhã no dia de suas bodas de prata.


A mulher passou a manteiga na casca do pão e o entregou para o marido,
ficando com o miolo. Ela pensou: "Sempre quis comer a melhor parte do pão,
mas amo demais o meu marido e, por 25 anos, sempre lhe dei o miolo. Mas hoje
quis satisfazer meu desejo. Acho justo que eu coma o miolo pelo menos uma
vez na vida".


Para sua surpresa, o rosto do marido abriu-se num sorriso sem fim e ele lhe
disse: - Muito obrigado por este presente, meu amor.
Durante 25 anos, sempre desejei comer a casca do pão, mas como você sempre
gostou tanto dela, jamais ousei pedir!
Moral da história:
Você precisa dizer claramente o que deseja,
não espere que o outro adivinhe...


Você pode pensar que está fazendo o melhor para o outro, mas o outro pode

estar esperando outra coisa de você...



Deixe-o falar, peça-lhe para falar e quando não entender, não traduza
sozinho.
Peça que ele se explique melhor.

Esse texto pode ser aplicado não só para relacionamento entre casais, mas
também entre pais e filhos, entre amigos e mesmo entre colegas de trabalho.
As relações humanas seriam melhores se entendêssemos isto!!!

Água Benta





Fazer devotamente o sinal-da-cruz com água benta traz incontáveis benefícios para o corpo e para a alma: afugenta os demônios, obtém o perdão dos pecados veniais, pode livrar-nos de acidentes e até curar doenças.

Afirmou um sacerdote, que inúmeros católicos, mesmo dos mais instruídos, não sabem para que serve a água benta. É pena! Por isso, não se beneficiam desse precioso instrumento instituído pela Igreja para ajudá-los em praticamente todas as circunstâncias e dificuldades da vida!
Para que serve?


Há várias formas de usá-la. A mais comum é persignar-se com ela. Outra é aspergi-la sobre si mesmo, sobre outras pessoas, lugares ou objetos. Qualquer leigo ou leiga pode fazer isto. Naturalmente, quando feito por um sacerdote tem mais peso.

Seu efeito mais importante é afastar o demônio. Este “ronda em torno de nós como o leão que ruge”, procurando fazer- nos toda espécie de mal, como nos adverte São Pedro (I Ped 5,8). Os espíritos malignos, cujas misteriosas e sinistras operações afetam às vezes até as atividades físicas do homem, querem, antes de tudo, induzir-nos ao pecado grave, que conduz ao inferno. Para isto empregam todos os recursos. Às vezes, por exemplo, provocam em nós um sem número de incômodos físicos ou psicológicos.

Outras vezes provocam pequenos incidentes, em nosso dia-a-dia, criam atrapalhações que parecem ter causas meramente naturais.
Por exemplo, na hora de cumprir um dever, a pessoa sente um inexplicável mal-estar, um inesperado desânimo, uma estranha dor de cabeça… Em certas oportunidades, sem qualquer motivo, o marido fica repentinamente irritado contra a esposa, ou vice-versa, daí surge uma discussão e se quebra a paz do lar. Ou, então, o pai ou a mãe deixa-se levar por um movimento de impaciência e repreende duramente o filho, em vez de admoestá-lo com doçura. O filho se revolta, sai de casa. Está criado um problema! Tudo isso pode ser evitado afugentando o demônio com um simples sinal da cruz, feito com água benta. Quando você sentir uma irritação estranha, faça essa experiência, e preste atenção no efeito salutar que produz! Logo lhe voltará a serenidade.
Além do mais, a água benta é um sacramental que nos alcança o perdão dos pecados veniais, pode livrar-nos de acidentes (trânsito, assaltos, quedas), e ajuda até a curar doenças. O conhecido livro “Tesouro de Exemplos” conta que uma criança gravemente enferma ficou imediatamente curada ao receber a bênção de São João Crisóstomo com água benta.
A água benta, como todo sacramental, leva-nos a invocar, nas diversas circunstâncias do dia, o socorro do Divino Espírito Santo, para o bem de nossa alma e de nosso corpo.

Outro benefício muito interessante e pouco conhecido: ela pode ser usada eficazmente em proveito de pessoas que se acham distantes de nós. E mais, cada vez que a utilizamos para fazer o sinal da- cruz, na intenção das almas do purgatório, elas são aliviadas dos seus sofrimentos.

De onde vem esse poder maravilhoso?

Vem do fato de ser ela um sacramental instituído pela Santa Igreja Católica.
O sacerdote benze a água, enquanto ministro de Deus, em nome da Igreja e na qualidade de representante dela, cujas orações nosso Divino Salvador sempre atende com benevolência.

É importante lembrar que para ser verdadeiramente água benta, ela precisa ser benzida pelo sacerdote segundo o cerimonial prescrito pela Igreja, no “Ritual de Bênçãos” e no próprio “Missal Romano”, ambos publicados pela CNBB.

São belas e altamente significativas as orações para a bênção da água.

Portanto, não se esqueça!

É muito conveniente ter sempre consigo água benta para usar em qualquer circunstância. Por exemplo, benzer-se com ela ao sair e ao entrar na igreja, em casa ou no local de trabalho; ao iniciar uma oração, um serviço, uma viagem. Para afastar do lar a influência maléfica dos demônios, é muito aconselhável aspergir na casa algumas gotas de vez em quando. Isto pode ser feito por qualquer pessoa da família. É claro que pedir a um Padre para benzer a casa é muito melhor! Portanto, a água benta é sempre eficaz.


Fonte: http://formacao-unidosemcristo.blogspot.com/

Maio, mês de Maria


TREZE DE MAIO FOI O DIA QUE NOSSA SENHORA APARECEU PELA PRIMEIRA VEZ AOS TRÊS PASTORINHO. NA CIDADE DE FÁTIMA EM PORTUGAL.
MINHA NOSSA SENHORA,
NOSSA MÃE TÃO DEDICADA
OFEREÇO O MEU TERCINHO
CADA CONTA, BEM REZADA

POR ISSO, LINDA SENHORA
QUE VI NO CÉU A BRILHAR
TRAGO UM VÉU FEITO COM AMOR
SÓ PARA TE ENFEITAR

POR ISSO, MINHA RAINHA
PELA TRINDADE COROADA
TE CORÔO, NOSSA SENHORA
DOS SEUS FILHOS, MUITO AMADA

AS BEM-AVENTURANÇAS - Mateus 5.3-12

O que são as Bem-Aventuranças?
Elas são de um lado as Be-Atitudes – atitudes que deveríamos ter.
Uma atitude é a maneira como mostramos nosso modo de pensar ou sentir sobre algo. Uma beatitude é o pronunciamento de alguma bênção ou felicidade que virá sobre nós quando permitirmos que Deus molde nossos pensamentos e sentimentos.

Quando Jesus fez o Sermão da Montanha (Mateus 5.7), Ele deu algumas beatitudes, cada uma começando com a palavra bem-aventurado, ou feliz.
A pessoa abençoada é favorecida por Deus, recebendo dEle certos benefícios.
Existe um tipo especial de felicidade que surge quando sabemos que Deus se agrada de nossas atitudes. Um menino pronto a dar a primeira lambida num sorvete pode dizer: “Isto vai me fazer feliz”. Mas, o que acontece quando o sorvete acaba?

A felicidade de Deus é duradoura. Ela começa quando recebemos Jesus como Salvador. A felicidade permanente de Deus não é apenas riso e prazer quando tudo vai bem, mas paz e esperança que lhe dão alegria mesmo nas dificuldades.
Podemos ter essa alegria quando sabemos que Deus perdoa os nossos pecados e nos deu a Vida Eterna. Uma vez que tenhamos fé no Senhor Jesus Cristo, as bênçãos pronunciadas aqui podem começar a transformar a nossa vida.

Jesus ensinou que se tivermos certas atitudes vamos ser felizes – as recompensas virão. Quando mostrarmos cada uma dessas atitudes certas, o Senhor irá felicitar-nos mediante resultados especiais. Por exemplos, se você for “humilde de espírito”, tem a promessa do “reino dos céus”. O que isto significa? Vamos examinar cuidadosamente as oito bem-aventuranças.


(1) “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.”
Ser pobre é não possuir algo que se precisa. A pessoa “pobre” (humilde) de espírito, admite voluntariamente sua necessidade espiritual. Ela compreende que lhe falta algo na vida. (Na verdade, Alguém está faltando).
Quando admitimos nossa necessidade espiritual, estamos prontos para receber Aquele que irá satisfazer essa carência, o Senhor Jesus Cristo. Então, nos tornamos parte do reino de Deus e podemos ter a certeza de compartilhar o Céu com Ele (Lucas 12.32).


(2) “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.”
Gina chorou por não gostar do café da manhã.
Chorou por não apreciar as roupas que a mãe comprou para ela.
Chorou quando a professora fez uma pergunta difícil e quando fez prova de matemática.
Jesus não estava, porém, falando desses tipos de tristeza.
Certo dia Gina ouviu: “Jesus morreu pelos seus pecados”. Ela então chorou por ter ficado realmente triste com seus pecados. Era pecado desobedecer à mãe e querer impor a sua vontade. Era até pecado chorar tanto. Este era o choro a que Jesus se referia – ficar triste com os pecados. Gina foi consolada quando confiou em Jesus para perdoá-la. Todos os que aceitam Jesus como Salvador recebem o grande consolo do perdão dos pecados.
Jesus prometeu também enviar aos salvos um Consolador ou Auxiliador, o Espírito Santo, para ser nosso Companheiro constante e ajudar-nos em momentos de problemas e perdas (João 14.16,17). É também muito reconfortante saber que algum dia, no Céu, não vai haver nenhum choro (Apocalipse 21.4). Este será um tempo realmente feliz.


(3) “Bem-Aventurados os mansos, porque herdarão a terra.”
Ser manso é muito diferente de ser fraco.
Decidir ser manso – amável, humilde, submisso – exige força.
A mansidão vem quando nos vemos pela ótica de Deus.
Deixamos de fazer exigências. Deixamos de querer o primeiro lugar. Aceitamos as situações difíceis como vindas de Deus e fazemos o nosso melhor apesar delas.
A mansidão nos capacitará a desenvolver relacionamentos cordiais, satisfatórios, com outros e nos liberará para desfrutarmos de uma ‘herança’ especial de Deus, a Quem tudo pertence (Salmos 50.10- 12).
Quando deixamos de nos concentrar nas coisas pessoais e aceitamos o que Deus decide dar-nos, ficamos livres para “possuir” todas as coisas – usufruir a beleza e fartura da terra que nos rodeia – sol e ar fresco, boa alimentação, família e amigos, boa saúde. Podemos então aproveitar a vida ao máximo.
Algum dia iremos estar junto ao Senhor quando Ele julgar os perversos e estabelecer o seu reino na terra.


(4) “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos.”
Você já ficou com tanta fome que não conseguiu esperar pela hora da refeição? Ou com tamanha sede que precisou tomar um copo d´água imediatamente? Assim como o corpo precisa de alimento e água, o seu “eu” interior (sua alma e espírito) necessita de algo para satisfazê-lo.
Alguns pensam que o dinheiro satisfaz.
Outros acham que precisa do prazer.
Jesus diz que a única coisa que pode satisfazer a sua fome e sede interior é a justiça, isto é, agir corretamente.
Você quer fazer o que é certo?
Jesus pode ajudá-lo nisso.
Quando você O recebe, Ele lhe dá a Sua justiça (2 Coríntios 5.21) e depois nos dá o poder de viver retamente.
Se tiver fome e sede de justiça, vai ler a Palavra de Deus e orar.
Terá prazer em estar com outros salvos na igreja, na Missa, na Catequese e no Grupinho de Oração.
Quando buscar a Deus e agir como deve, vai sentir grande satisfação íntima; será abençoado com a verdadeira felicidade.
Mas, ficar “satisfeito” por agir bem será como comer uma sobremesa deliciosa. Você desejará repetir o prato por ser muito bom!

(5) “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.”
Mostrar misericórdia significa não castigar alguém mesmo que mereça.
Os misericordiosos são aqueles que perdoam outros e mostram a eles bondade que não merecem. Essas pessoas não olham os demais com superioridade nem os condenam.
Ser misericordioso significa dar parte de uma mesada a uma família pobre, ser amigo de alguém que seja objeto de riso dos seus vizinhos, ou ser paciente com o irmãozinho pequeno quando ele quebra um de seus brinquedos.
Por que devemos mostrar misericórdia?
Porque Deus tem sido misericordioso para conosco.
O Senhor Jesus aceitou o castigo pelo seu pecado e o meu quando morreu na cruz. Depois que receber a Ele, Jesus vai ajudá-lo a ser misericordioso para com outros em piores condições que você ou para com os que ofendem ou decepcionam.
Deus promete uma bênção especial aos misericordiosos: eles vão receber misericórdia de uma forma ou de outra (2 Samuel 22.26; Eclesiastes 11.1).
Se você então mostrar misericórdia, não se surpreenda quando outros forem misericordiosos para com você.


(6) “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus.”
Os judeus dos dias de Jesus davam muito valor à pureza ou limpeza, mas toda a sua ênfase estava nas coisas externas (Mateus 23.25).
Jesus voltou Sua atenção para o íntimo. Ele disse que Deus dá valor aos corações limpos. Não podemos tornar puros nossos corações, só Jesus tem poder para isso (Provérbios 20.9; 1João 1.7).
Jesus promete que os que permitirem que Ele os limpe do pecado verão a Deus.
Quando esta vida terminar, conheceremos a perfeita felicidade de viver para sempre na presença de Deus.
Há também um meio dos salvos “verem” a Deus agora.
Quando cometer um erro, confesse seu pecado a Deus (1 João 1.9). Fique perto dEle ao ler a Sua Palavra e conversar com Ele em oração. Quando seu coração é puro, você pode “ver” Deus trabalhando na sua vida.


(7) “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.”
Você já viu alguma vez pai e filho tão parecidos que as pessoas dizem: “É fácil ver que ele é filho daquele homem!”
Quando outros olham para a sua vida, eles dizem: “Esse menino ou menina é filho de Deus”. Talvez digam, se você for pacificador.
Os pacificadores “promovem a paz” entre os inimigos. Quando fazemos isso nos assemelhamos a Deus.
Um meio de ser um pacificador é contando a outros como ter a paz com Deus mediante Seu Filho Jesus.
Você pode também ajudar a manter a paz com seus amigos, sendo verdadeiro e bondoso, mantendo-se calmo quando alguém quer começar uma briga.
Ter paz com Deus e com outros lhe trará grande felicidade (Tiago 3.17,18).

(8) “Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.”
Lemos em 2 Timóteo 3.12: “Todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” [tratados com aspereza e crueldade!].
Os salvos podem evitar a perseguição vivendo como o mundo – rindo de piadas sujas, participando de brincadeiras perversas, não dizendo nada sobre o Senhor Jesus e o que Ele fez em favor deles.
Mas, então, não teremos a bênção mencionada por Jesus.
Você pode ficar feliz quando alguém caçoa de você por estar agindo certo?
Deus diz que pode.
É difícil ser maltratado por fazer o que deve, mas o Senhor Jesus nos deixou um exemplo (1 Pedro 2.21) e uma promessa para nos manter fiéis (Romanos 8.18).
Quando as pessoas rirem ou tentarem ofendê-lo por agir bem, pense nos dias felizes que terá no Céu. As dificuldades duram algum tempo, mas o Céu vai durar para sempre!

Bíblia de Recursos para o Ministério com Crianças – Editora Hagnos – páginas1104 - 1106 (Publicação não católica)
Fiz poucas adaptações, se achar necessário ajuste à realidade de sua evangelização (Catequese, Grupinho, etc.)