26 de dez de 2007

A verdadeira história de Papai Noel




Lá pelo ano de 275, nasceu na cidade de Lycia, na Ásia, um menino chamado Nicolau, cuja família era muito rica. Desde pequeno, cultivava em seu coração a bondade e o amor ao próximo. Nicolau ficava pensando o que ele poderia ser quando crescesse, pois queria ajudar muitas pessoas. Conta-se que desde jovem gostava das leituras religiosas. Tornou-se sacerdote e depois Bispo de Mira (na Turquia), assim ele pode ajudar muita gente. Herdou dos pais uma grande fortuna e um espírito profundamente cristão, o que fez com que, ao ficar órfão, dividisse tudo que herdara entre os pobres.


Na tradição, conta-se de tudo sobre a sua vida. Teria sido responsável pela ressurreição de várias pessoas, pelo fim de um furacão que ameaçava destruir um navio e outros feitos extraordinários. Nos invernos rigorosos ele enchia um saco de provisões, roupas e brinquedos e saía distribuindo aos pobres, para que o frio e a falta de comida desta estação não fossem tão rudes para com os carentes Também costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificuldades financeiras, colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas. Daí teria nascido o mito de que ele não deixava nenhuma casa sem presentes e nenhuma criança sem brinquedo ou comida. Foi declarado santo depois que muitos milagres lhe foram atribuídos. Ele tinha barba grande e, como era Bispo, muitas de suas roupas eram vermelhas, assim é representado como um velhinho muito bondoso, de barbas brancas, roupa vermelha e carregando um saco de presentes às costas.


São Nicolau morreu em Mira, no ano 342. Sua transformação em símbolo natalino aconteceu na Alemanha e daí correu o mundo. Nos Estados Unidos, após uma campanha publicitária da Coca-Cola a tradição do velhinho de barba comprida e roupas vermelhas que anda num trenó puxado por renas ganhou força. A figura do Papai Noel que conhecemos hoje foi obra do cartunista Thomas Nast, na revista Harper's Weeklys, em 1881.


Nicolau nos ensina a fazer o bem gratitamente, sem buscar reconhecimento, como Jesus ensinava: "Não pratiquem as boas obras de vocês diante dos homens só para serem elogiados por eles. Fazendo assim, vocês não terão a recompensa do Pai de vocês que está no Céu." (Mateus 6, 1-4)


Vamos pedir a intercessão de São Nicolau para que tenhamos um coração generoso e bondoso como o dele!

18 de dez de 2007

Carta ao Papai Noel






Querido Papai Noel,


Escrevo-lhe esta carta, não para pedir presentes, mas para sugerir-lhe que seja uma presença diferente, neste NATAL.


Sinceramente espero que não estranhe o fato da carta ser um tanto longa. Acontece que há muitos anos venho pensando neste assunto. Lendo um texto do "Pe. Zezinho", achei por bem escrever-lhe diretamente.


Desculpe-me se a carta não chegar às suas mãos enluvadas, acompanhada de um presente material. Tenho certeza de que o ANIVERSARIANTE tem alguma surpresa divina mais condizente com a sua condição humana e com a sua profissão temporária - a de ser Papai Noel durante dois meses.


Sei que a culpa não é toda sua, querido Papai Noel, pois fizeram muito barulho e propaganda a seu respeito, a tal ponto que algumas pessoas nem mais se lembram do que comemoram no dia 25 de dezembro. É triste verificar que muitos não mais recordam a linda história daquela noite santa nem a contam às crianças.


A data não é bem essa, eu sei, mas os cristãos cristianizaram a celebração de 25 de dezembro, que a princípio era a festa do deus SOL - o solstício de dezembro. Agora é a festa de JESUS, o Sol de nossa vida.


Penso que vai concordar com a minha sugestão e, com o seu jeito carinhoso de papai e vovô, pode ajudar a devolver a admiração, o amor, a esperança e as homenagens natalinas para o verdadeiro dono da festa - o aniversariante, JESUS.


Sabemos que tanto os pequenos quanto os adultos gostam muito de ouvir histórias.


Sugiro-lhe que aproveite esta chance e, com sua voz macia e sonora, peça para as crianças sentarem no seu colo ou no chão.... para ouvirem o que tem a contar. Garanto que os adultos também vão ficar curiosos, pois todos, mesmos crescidos, conservamos um coração de criança.


Entre, com tranqüilidade em seu coração de criança, recorde seus sonhos, expectativas e tudo o que aprendeu e viveu na juventude e idade adulta. Conte a história daquela noite santa: fale de Jesus, de seus pais, das estrelas, dos anjos, dos pastores, dos animais e toda aquela cena cheia de mistério e graça ... Era uma noite silenciosa, lembra? Os anjos cantavam e Deus se fez presente para nós. Procure, agora, escutar o recado de Deus.


Presentes? Será que as crianças precisam ser boas e se comportarem bem para ganhar presentes? Isso é chantagem! Deus costuma dar presentes para todo o mundo: a noite, o dia; o sol, a chuva; as flores, os pássaros; rios, águas... milhares de presentes. É só prestar atenção para identificá-los e acolhe-lhos . Ele nunca pergunta se somos bonzinhos e obedientes. Você poderia imitar esse jeito generoso de Deus que é Pai-Mãe-Amor, não acha?


Pais costumam dar o que têm de melhor para seus filhinhos, pois são sempre os melhores filhos do mundo.


Está bem assim, Papai Noel? Espero que ainda se lembre das histórias que lhe contavam quando criança. Sei que suas preocupações são muitas e que, talvez, o Natal represente dinheiro extra para a sua família.
Tudo bem que os pais lhe tragam as crianças esperando ouvir aquelas costumeiras perguntas: O que você quer ganhar nesse Natal? Você se comportou bem? Estudou bastante e passou de ano? Obedeceu aos pais? Depois entrega um pirulito ou algumas balas aos pequenos de olhos arregalados.


Já pensou se as crianças não recebem dos pais o que lhe pediram?!


Não me leve a mal, mas... ainda bem que eu, bem pequenina, vi meu pai pulando a janela do quarto para colocar uma boneca embaixo de minha cama. Ô, feliz descoberta!


Dou-lhe mais uma sugestão e espero que, pelo menos em parte, lhe agrade:


Continue sim, o seu trabalho mas, de uma forma nova: cuide também de seu coração, da dimensão espiritual e afetiva. As crianças são muito sensíveis e vão notar sua alegria e o brilho que vem de dentro e se expande em seu olhar. Vamos lá, Papai Noel!


Continue na Festa do Aniversário de JESUS - o Natal!


Encontre um jeito ou peça até para o colocarem no Presépio, mas ao lado dos Reis magos ou de outros personagens.


Em silêncio, deixe que a luz ilumine primeiro o Menino Jesus, seus pais e o berço, depois, faça morada em seu coração e, progressivamente, ilumine todos os seus pensamentos e ações.


Antes de sair de casa para o seu trabalho, pare um pouco e entre em sintonia com o Deus da Vida que, um dia, veio palmilhar o nosso chão, veio amorosamente ensinar-nos a viver como irmãos.


Além desta carta, envio-lhe este recado que escrevi para muitas pessoas, mas penso não tê-lo enviado a você:


"Encontre um tempo a mais para recordar e passar adiante a história do Menino Deus, que veio viver a nossa vida e a nossa história.


Conserve as tradições vivas. Recorde os Natais da infância, da juventude, da idade adulta, e também os dos anos dourados...
e agradeça a Ele, o aniversariante Jesus.


E escreva também. Visite ou presenteie, se puder. Nesse tempo que é tão especial, muita gente espera e merece ser lembrada.
Partilhe os bens materiais e espirituais.


Um Natal muito santo, alegre e fraterno, a todos!"


Querido Papai Noel, sinceramente espero que esta carta chegue em suas mãos, faça-o refletir sobre o assunto e encontre eco em seu coração. Ah, lembre-se daquela canção: "Botei meu sapatinho na janela do quintal. Papai Noel deixou-me um presente de Natal". Sei que não é segredo para você nem para tantas pessoas solidárias que procuram ajudar aos mais carentes, por ocasião do Natal.


Há muitas crianças e adultos que não têm calçados, muito menos para colocá-los na janela. Mesmo assim, conservam a esperança de que este Natal lhes traga um pouco mais do conforto e da dignidade a que têm direito.
Aceite o meu abraço natalino e a minha gratidão por ter feito parte dos meus sonhos de criança, mesmo que por pouco tempo. Talvez não tenha a oportunidade de responder a esse meu recado; não faz mal, fico feliz da mesma forma. Guarde esta minha carta com carinho ou repasse-a para outra pessoa.


(Recebi por e-mail)

11 de dez de 2007

Oração de Natal


Senhor, nesta Noite Santa, depositamos diante de Tua manjedoura 
todos os sonhos, todas as lágrimas e esperanças contidos em nossos corações.
Pedimos por aqueles que choram sem ter quem lhes enxugue uma lágrima.
Por aqueles que gemem sem ter quem escute seu clamor.
Suplicamos por aqueles que Te buscam sem saber ao certo onde Te encontrar.
Para tantos que gritam paz, quando nada mais podem gritar.
Abençoa, Jesus-Menino, cada pessoa do planeta Terra, colocando em seu coração um pouco da luz eterna que vieste acender 
na noite escura de nossa fé.
Fica conosco, Senhor! 
Assim seja!


(Retirado da Internet)